Assumi a tesouraria da igreja? E agora? Não existem formulários ou qualquer tipo de protocolo, como devo proceder? - Finanças e Contabilidade - PERGUNTAS E RESPOSTAS - Instituto Jetro - Instituto Jetro

carregando...
Home > Perguntas e Respostas

Perguntas e Respostas » Finanças e Contabilidade


Assumi a tesouraria da igreja? E agora? Não existem formulários ou qualquer tipo de protocolo, como devo proceder?

Primeiro gostaríamos de esclarecer que a tesouraria das igrejas está cada vez mais assumindo o formato de contabilidade, pois a legislação exige diversas obrigações equivalentes a empresas, por exemplo, em relação aos livros e formulários.

Em relação à tesouraria:

- Deve ser feito um registro das entradas e saídas, o que pode até ser em livro caixa, dependendo do tamanho da igreja, mas é mais aconselhável se fazer através de contador ou escritório de contabilidade, pois então haverá um plano de contas estruturado, com ativos e passivos registrados;

- Deve ser entregue anualmente a declaração de isenção (declaração de imposto de renda pessoa jurídica), assinada por contador habilitado;

- Os documentos que comprovam as despesas devem ser válidos, ou seja, nota fiscal ou recibo de prestação de serviço autônomo, com os respectivos descontos à previdência e imposto de renda;

- Os documentos deverão ser guardados por, no mínimo, 5 anos;

- Podem ser levantados balancetes ou demonstrativos mensais, com o movimento financeiro e contábil.

Em relação aos empregados da igreja:

- SEFIP com informações dos funcionários da igreja (secretária, zeladoria, etc), para recolhimento do FGTS, mensalmente;

- A RAIS (Relação anual de informações sociais) é um formulário que deve ser entregue anualmente ao Ministério do trabalho, com as informações sobre os funcionários registrados;

- O CAGED Cadastro Geral de Empregados e Desempregados, deve ser entregue mensalmente;

- Deve ser recolhido mensalmente o Imposto de Renda retido dos funcionários ou de pagamentos a pastores, bem como o Pis sobre a Folha de pagamento;

- Devem ser guardados os demonstrativos de pagamentos dos salários por 10 anos.

Em resumo, a tesouraria, quando não é feita por um contador, deve ter a assistência de um, mesmo que eventualmente, para garantir que numa eventual fiscalização, e também para prestação de contas aos pastores e membros, todos os documentos sejam válidos, estejam contabilizados e arquivados em ordem.

Voltar