Conselho de Pastores? - Entrevistas - Instituto Jetro

carregando...

Conselho de Pastores?

Adilton Aparecido da Silva
Publicado em 21.09.2010

A unidade do Corpo de Cristo é valorizada e promovida. Unidade no entanto, não significa unanimidade, o Conselho de Pastores de Londrina- Paraná tem conseguido algo louvável: a unidade respeitando as diversidades.

E cabe aqui, uma pergunta: Afinal, para que serve o Conselho de Pastores?

Quem sabe alguns destes motivos seja um bom motivo: o Conselho de pastores poderá oportunizar a ampliação da visão, mostrando-nos que o Reino de Deus é muito maior que as nossas denominações; precisamos trabalhar unidos para o crescimento do Reino de Deus e seus valores no mundo; necessitamos ser cuidados e cuidar uns dos outros; precisamos nos envolver com os problemas da cidade e oportunizar caminhos para que os valores éticos cristãos sejam vivenciados e cobrados em suas mais diversas instâncias da vida pública.

Para falar um pouco mais sobre o assunto, entrevistamos o Pr. Adilton Aparecido da Silva presidente do Conselho de Pastores Evangélicos de Londrina desde 2008, graduado em Teologia pela Faculdade Teológica Sul Americana de Londrina/PR, Pastor Titular da V Igreja Presbiteriana Renovada de Londrina (desde a sua fundação no ano de 2000), Presidente do Presbitério de Londrina da Igreja Presbiteriana Renovada do Brasil e Vice-presidente da Gráfica e Editora Aleluia.

  foto de Adilton Aparecido da Silva

O que é o Conselho de Pastores de Londrina?

 Adilton -  O Conselho de Pastores Evangélicos de Londrina (CPEL)  é uma associação civil, sem fins lucrativos, com número ilimitado de membros, que congrega ministros das Igrejas Evangélicas de Londrina e de cidades adjacentes que preencham os requisitos para admissão.

Quais os objetivos do Conselho e em que o Conselho dos Pastores ajuda os Pastores?

Adilton - O CPEL tem por finalidade promover e desenvolver o espírito de companheirismo e fraternidade cristãos entre os seus membros, respeitando as diferenças doutrinárias, estimulando e trabalhando pela unidade do corpo de Cristo. Buscando criar ambiente favorável à solução cristã de quaisquer desentendimentos doutrinários que porventura venham a surgir entre os seus membros, dando-lhes apoio em tempo de crise, favorecendo e incentivando intercâmbio cultural entre os membros do conselho e entre as igrejas evangélicas representadas, através de encontros, reuniões, atividades evangélicas interdenominacionais, nas áreas de assistência social, moral e educacional, conferências pastorais, reflexão teológica, intercessão, visando o aperfeiçoamento da vida cristã e a promoção do Reino de Deus. Por último, temos firmado posição pública, através dos meios de comunicação sobre nossas posturas na solução de problemas de ordem social, moral, política e econômica que venham ocorrer na cidade, estado ou no país.

O que é necessário para integrar e participar de um Conselho de Pastores?

Adilton - É muito simples. Basta participar ativamente das nossas reuniões e solicitar a sua membresia apresentando alguns documentos pessoais e uma carta de recomendação da igreja da qual o Pastor ou Pastora é membro.

Quem pode participar? Há critérios estabelecidos para aceitar a integração de um participante? Quais são eles? São diferentes para cada cidade e Estado?

Adilton - Podem participar do Conselho de Pastores todos que estejam pastoreando uma igreja reconhecidamente evangélica ou ligados às atividades ministeriais outorgadas pela igreja local ou ordem superior de sua denominação. Como disse anteriormente, é necessária a comprovação deste vínculo através de uma carta de recomendação/apresentação. Acredito que cada Conselho ou Ordem, como é denominado em algumas cidades, tenha seus requisitos próprios para admissão de membros.

O que nos diz da relação do número de Igrejas em Londrina e o número de pastores que participam do Conselho de Pastores? Quais as programações do Conselho?

Adilton
- Acredito que hoje temos o envolvimento de Pastores e Pastoras que  representam a maioria das comunidades evangélicas de Londrina. Temos uma reunião mensal (toda primeira terça-feira do mês), um almoço de confraternização pelo dia do Pastor Londrinense, dia 31 de outubro. Neste ano comemoraremos no dia 29 de outubro, com várias atividades durante o dia.

Qual a função, representatividade e as vantagens de uma entidade desta natureza para uma cidade?

Adilton - Bem, o CPEL é uma entidade representativa na cidade. Temos um compromisso de oração pelas autoridades e por nossa cidade. Nosso anseio é servir ao município, cumprindo o chamado de Deus para todos aqueles que fazem parte desta entidade: ser canal de bênção e vida. Estamos  empenhados em servir ao povo de nossa cidade, através dos diversos projetos sociais, desenvolvidos pelas nossas igrejas. Mas também, estamos vigilantes e prontos a denunciar, profeticamente, qualquer ato de injustiça ou ilicitude praticado em diversas esferas do município.

Algumas pessoas vêem o Conselho de Pastores como algo muito político e de "hipocrisia", onde na verdade cada pastor quer saber como o outro está não para ajudar em oração ou aconselhamento, mas para de alguma forma levar vantagem (quem sabe até arrebanhando membros destes "pastores em dificuldades"). É um ambiente de inveja velada? O que nos diz à respeito?

Adilton - Acredito que hoje o CPEL tem o privilégio de ser um órgão de ajuda e amparo para os ministros desta cidade. Temos encontrado pouca resistência junto aos colegas de ministério e entendo que pensamentos como este sobre "arrebanhar membros de outras igrejas" porque o líder está em dificuldades já não existe. Procuramos, sim, ajudar os que se encontram em adversidade, estendo nossa mão amiga.  Não consigo ver de fato os corações, mas, acredito que estamos vivendo um bom momento do Conselho de Pastores.

Quais os conselhos para pastores e líderes que querem se envolver e para os que já estão envolvidos no Conselho de Pastores em suas cidades?

Adilton
- Neste momento sinto em meu coração o desejo de transmitir a todos os pastores, pastoras e líderes de igrejas evangélicas, que através do Conselho de pastores, a cidade conta com a força  e união das igrejas, para que tenha sempre uma qualidade de vida melhor. Precisamos além de orarmos pelos nossos problemas internos apresentar a Deus a nossa cidade e todas as autoridades constituídas. O CPEL estará mais do que nunca voltado para o espiritual dos pastores a fim de promover mais unidade ao corpo de Cristo e consequentemente às denominações. É bom lembrá-los que vivemos um tempo de grave e sérias mudanças em nossa país. Precisamos estar juntos, por isso proponho que o leitor procure estar unido com pastores de outras denominações na sua cidade, quem sabe também através de um Conselho de Pastores de sua região.

Reprodução autorizada desde que mantida a integridade dos textos, mencionado o autor e a fonte como: http://www.institutojetro.com/ e comunicada sua utilização através do e-mail artigos@institutojetro.com.

Leia também
A ética na formação pastoral 
Como construir relacionamentos gratificantes e duradouros

Mais Lidos

URL: http://www.institutojetro.com/entrevistas/entrevistas/conselho-de-pastores/
Site: www.institutojetro.com
Título do artigo: Conselho de Pastores?
Autor:


Comentários