Entrevistas

Compartilhe

Traumas e suas consequências


Todos nós temos "gente" que mora lá dentro. Se pararmos para ouvir as "vozes" temos a que nos chama de burro/a quando erramos, outra, tem medo e nos impede de fazer as coisas, ou ainda , a voz do "ansioso" que faz tomarmos péssimas decisões para acabar com a ansiedade. Todos os dias a Galera Interna está presente na nossa vida, decisões e reações e precisamos saber quem está dirigindo as nossas vidas.

"Não temos que pensar que somos condenados a viver eternamente amarrados e presos a uma infância infeliz ou a experiências que nos atormentaram a vida inteira e continuam nos prejudicando no presente. As percepções dos nossos membros da Galera Interna podem mudar e com isso podemos ser libertos para fazer novas escolhas e opções, e tomar decisões que nos trazem saúde, realização pessoal e uma maior satisfação com a  vida".

O texto acima do livro "Curando a galera que mora lá dentro" sinaliza o trabalho da escritora e psicóloga Esly de Carvalho neste processo de curar com ênfase nas novas terapias de reprocessamente tais como EMDR e Brainspotting. O Instituto Jetro a entrevistou para saber mais sobre Os traumas e suas consequências.

Esly Regina Souza de Carvalho, MSc, LPC, Mestre em Psicologia, candidata doutoral em psicologia clínica, Trainer of Trainers de EMDR pelo EMDR Institute dos Estados Unidos; presidente da EMDR Treinamento e Consultoria Ltda., a organização que oferece o treinamento básico com exclusividade no Brasil; presidente da EMDR Ibero-América (EMDR IBA, triênios 2007-2010 e 2010-2013); aprovada como Trainer, Educator, Practitioner (TEP) pelo American Board of Examiners in Psychodrama, Sociometry and Group Psychotherapy (com distinção); Fellow da American Society of Group Psychotherapy and Psychodrama (ASGPP); membro honorário e fundadora da Asociación de Psicodrama y Sociometría del Ecuador (APSE); treinadora de Brainspotting no Brasil; presidente da Praça do Encontro; autora de vários livros. Para conhecer mais sobre a entrevistada acesse: http://www.pracadoencontro.com.br/, http://www.emdrbrasil.com.br/, http://www.brainspotting.com.br/, http://www.intrauma.com.br/.

Foto de Esly Regina de CarvalhoTodos nós temos "gente", "galera" que mora lá dentro. Vozes de medo, desaprovação, ansiedade, culpa, insegurança. Vozes que foram bloqueadas no desenvolvimento enquanto estávamos crescendo. Poderia falar mais sobre estas "vozes"?
Esly - Essas "vozes" fazem parte do diálogo interno que todos nós temos. São os nossos papeis internos que vão se desenvolvendo durante a vida. Aprendemos a ser mãe com a nossa mãe... só que as vezes a Mãe Crítica fala mais alto que a Mãe de Amor. Já que ninguém desenvolve os papéis de forma perfeita, o conteúdo é influenciado pelas experiências da vida mais a nossa personalidade/temperamento. Cada vez que houve um trauma ou uma "ruptura" um papel se desenvolve e fica pra trás.

O que a história da mulher de Ló nos ensina? (Gênesis 19: 1-29)
Esly -
Que o trauma faz com que fiquemos eternamente presos às experiências do passado. Uma parte dentro de nós fica olhando para trás vendo a destruição de Sodoma e gritando, "Olha o perigo! Olha a tragédia!" É a perfeita metáfora do trauma. Precisamos reprocessar essas lembranças numa relação de amor para que a pilastra de sal possa derreter e olhar para o presente e o futuro das nossas vidas. Este é o processo que vivemos durante o sono/sonho quando movimentamos os olhos rapidamente de um lado para o outro. As novas terapias aproveitam este processo normal e conseguem fazer isso com a pessoa acordada. Assim ela consegue terminar de processar o que ficou guardado de forma mal-adaptativa.

Quais são as consequências de experiências e lembranças dolorosas e traumáticas?
Esly -
Hoje em dia estamos entendendo que a grande maioria das dificuldades e diagnósticos mentais/emocionais tem como base o trauma. As consequências dos traumas (inclusive trauma "light") são tantas que podemos descrevê-las assim:
* O trauma congela as lembranças no cérebro a nível neuroquímico.
* As partes "congeladas" não se comunicam com as partes funcionais
* O trauma é sequela de vivências de perigo (real e/ou percebido) que não conseguimos resolver adequadamente.
* O trauma nos tira a capacidade de escolha
* O trauma faz com que acreditemos em mentiras a nosso respeito
* O trauma nos traz pensamentos obsessivos e intrusivos
* Desenvolvemos condutas de evitação
* A nossa capacidade para a aprendizagem é bloqueada/afetada
* O trauma abre a porta para a maldade
* A vida nos rompe a todos, mas alguns se tornam estátuas de sal.
* A vida também rompe a quem assiste tragédia
* Sem cura para o coração não há qualidade de vida

O que os papéis que assumimos dizem de nós?
Esly -
  Passamos a vida aprendendo papéis e cada pessoa tem múltiplos papéis que pode cumprir. Cada papel contém informações importantes, aspectos e conteúdos que contribuem em algo para a personalidade da pessoa e a integridade do seu eu. Essa perspectiva deve nos encher de esperança já que não somos obrigados a viver de forma fragmentada ou disfuncional. Podemos mudar nossos papéis tanto em quantidade quanto em conteúdo interno. Não estamos eternamente malfadados a repetir nossas histórias difíceis, podemos encontrar novas soluções para problemas antigos pela cura dos nossos papéis internos.

Como traumas e lembranças dolorosas que afetam a vida atual e a capacidade de escolher respostas e reações sábias às situações que enfrentamos no dia-a-dia podem ser curados?
Esly -
Se o nossos cérebro está congelado com as lembranças do passado, nós estamos neuroquimicamente limitados em relação a mudança de comportamento. É preciso usas as novas abordagens da psicoterapia como o EMDR e o Brainspotting, para reprocessar as lembranças, "derreter" o trauma, e colocá-los no passado - que é lugar certo do passado!
As pessoas não conseguem mudar por limitação cerebral,  não é necessariamente maldade ou má vontade. Uma vez reprocessados as lembranças as pessoas passam a poder fazer melhores escolhas e mudar conduta.

Como aprender a desenvolver a "política da boa convivência" com os personagens que vivem dentro de nós?
Esly -
A gente tem que ir curando os papéis internos e negociando tratos. Por exemplo, eu não posso levar as minhas crianças internas para o trabalho. Acabo chorando na frente do chefe se ele me chamar à atenção! Lugar de menino é em casa!! Eu preciso colocar minhas crianças internas para dormir no quarto ao lado na hora de ter intimidade com meu conjugê. Menino não tem que ver sexo!

E se eu quero emagrecer, eu preciso resolver como é que faço com quem NÃO quer se privar de comida, com quem acha BOM comer, com quem mente pra mim sobre quanto come (!!) e quem vem pra terapia porque realmente precisa resolver o problema de saúde.

Quais os conselhos para pastores e líderes que passaram por traumas como: violência doméstica, estupros, mortes ou demais traumas "light", que causaram grandes estragos? Onde buscar ajuda?
Esly-
  Precisam estudar trauma e entender sobre as atuais abordagens que curam. (Sugiro o livro Curando a Galera que Mora Lá Dentro, de minha autoria)
É terrível mandar uma esposa de volta a uma marido que bate. Corre risco de vida! É terrível culpabilizar a vitima do estupro ("ah, também, vai saber se ela estava vestida de uma forma modesta!") Os pastores e conselheiros precisam estudar e entender melhor sobre essas dinâmicas (vejam os recursos na Praça do Encontro http://www.pracadoencontrocom.br/)

Como pastores e líderes podem ajudar pessoas que passaram por traumas e experiência dolorosas?
Esly-
 Participando de cursos e palestras para entender as causas, as curas e como e para quem encaminhar profissionalmente quando necessário. Na praça do encontro há opções de cursos. (Confira no link  http://www.pracadoencontro.com.br/

Para adquirir o livro "Curando a galera que mora lá dentro" clique em www.galerainterna.com.br  

Reprodução Autorizada desde que mantida a integridade dos textos, mencionado o autor e o site http://www.institutojetro.com/ e comunicada sua utilização através do e-mail artigos@institutojetro.com

Leia também
Angústia faz parte
A saúde de pastores e líderes
Coisas ruins acontecem com líderes bons