Pressupostos de Jetro - Liderança Pastoral - Artigos - Instituto Jetro

carregando...
Home > Artigos > Liderança Pastoral > Pressupostos de Jetro

Pressupostos de Jetro


Publicado em 11.07.2007

O episódio relatado no livro de Êxodo é muito conhecido dos cristãos, e muito utilizado no mundo corporativo. O conselho de Jetro instituiu um regime de Governança avançado até para os dias de hoje. Ao invés de poder centralizado no líder Moisés, o poder deveria estar distribuído em pequenos, médios e grandes grupos de pessoas reconhecidas, capacitadas e tementes a Deus. Mas pouco é comentado sobre os pressupostos que viabilizaram tal conselho, sobre as premissas de como ele foi recebido e implantado, gerando êxito na história daquele povo. Vejamos algumas reflexões a respeito:

Da parte de Jetro

Isenção partidária – Jetro era de uma terra distante. Não estava envolvido com os interesses pessoais e partidários das diferentes famílias ou segmentos do povo. Sua observação clínica e profunda advém de um olhar isento de “outros interesses”, a não ser no bem estar de Moisés, de sua família e do povo. Se havia algum interesse era pela saúde física e emocional de todos. Multiplicar a liderança e atá-la a uma rede de relacionamentos e prestação de contas fazia todo o sentido. Bons conselhos devem estar isentos de interesses pessoais.

Comprometimento pessoal – Apesar de não demonstrar interesse partidário, seu envolvimento pessoal com Moisés era inquestionável. Era seu sogro, avô de seus filhos. Recebeu-o em sua terra quando Moisés havia fugido do Egito. Tinham laços de amizade e parentesco. A saúde de Moisés afetaria a alegria e bem estar da filha de Jetro. Bons conselhos advêm de pessoas que realmente nos amam.

Confiança na provisão divina – Quando Jetro apontou a solução, partiu do pressuposto que esses homens que se tornariam líderes estavam lá. Tantos anos de escravidão poderiam ter anulado a capacidade e vontade de liderar. Escravo não lidera. Escravo obedece. Contrariamente a isso, Jetro apontou que as pessoas estavam lá. Deveriam ser localizadas, desafiadas e posicionadas. A provisão de Deus na libertação do povo incluía a construção do caráter e boa vontade desses líderes. Bons conselhos devem considerar a provisão de Deus, que é abundante e fornece recursos necessários ao cumprimento da missão.

Da parte de Moisés

Capacidade de ouvir – Talvez aqui esteja o principal ponto diferencial deste líder. Seus quarenta anos de deserto o treinaram a ouvir a voz de pessoas mais experientes. Pessoas que tinham opinião diferente de suas próprias idéias. Sua iniciativa anterior (quando matou o egípcio) causou um verdadeiro transtorno em sua vida. Pior ainda, tirou dele a condição de interceder por seu povo. Mas naquele momento mostrou-se um líder pronto a ouvir, sabendo que não era dono da verdade. Suas faculdades mentais estavam abertas para discernir a validade daquela direção e implantar imediatamente o conselho recebido. Bons conselhos precisam de ouvidos abertos de verdade.

Desinteresse no poder – O conselho teve implicação na repartição do poder de Moisés. Exigiu desprendimento e espírito de servo. Afinal, o mais importante era o povo. Moisés arriscou-se ao aparecimento de tantos outros que poderiam ser melhores que ele. Apesar de sua história de êxito ao libertar o povo, os tempos novos seriam outros e poderiam implicar em ameaça de nova liderança. Moisés não se preocupou com isso. Estava atento a cumprir a direção de Deus, mesmo que isso o retirasse da posição de líder maior. Seu coração estava desprendido do poder. Bons conselhos exigem morte da vontade pessoal apegada ao poder.

Abertura a mudanças – Ouvir e estar disposto só teve sentido porque Moisés foi adiante, implantando imediatamente a mudança. Mudanças exigem determinação, persistência e atitude. Determinadas mudanças exigem um renascimento, uma reprogramação mental, que elimina determinados hábitos e preferências. Só conseguimos isso quando Deus opera em nosso coração. Bons conselhos exigem coração tratável e aberto a mudanças.

Muitos pressupostos fizeram o conselho de Jetro ter validade. Havia um ambiente para que fizesse efeito e tanto bem a Moisés e ao povo. Em nossos dias, também precisamos criar esse ambiente, essas premissas, esses pressupostos. Deus quer mudar coisas em nossa liderança para nosso próprio bem e de todo o povo. Vale a pena querer o conselho dele.

Reprodução Autorizada desde que mantida a integridade dos textos, mencionado o autor e o site www.institutojetro.com e comunicada sua utilização através do e-mail artigos@institutojetro.com

URL: http://www.institutojetro.com/artigos/lideranca-pastoral/pressupostos-de-jetro.html
Site: www.institutojetro.com
Título do artigo: Pressupostos de Jetro
Autor: Rodolfo Garcia Montosa

Mais Lidos

carregando...

Comentários