Depressão em pastores - Liderança Pastoral - Artigos - Instituto Jetro

carregando...
Home > Artigos > Liderança Pastoral > Depressão em pastores

Depressão em pastores


Publicado em 16.05.2011
A Organização Mundial de Saúde(OMS), através de pesquisas tem demonstrado que a depressão é o mal do século, segundo esta instituição os casos de depressão  tendem a superar as doenças cárdiacas e câncer nos próximos 20 anos, também será a doença que mais gerará gastos econômicos e sociais para os governos. Segundo Sexana, médico psiquiatra da OMS: "Nós poderíamos chamar isso de uma epidemia silenciosa, porque a depressão está sendo cada vez mais diagnosticada, está em toda parte e deve aumentar em termos de proporção, enquanto a (ocorrência) de outras doenças está diminuindo".

Algumas pesquisas entre o público evangélico têm demonstrado que o número de pastores com problemas psiquiátricos tem aumentado. Segundo o psiquiatra Dr. Pércio, essas pesquisas tem apontado, que entre os  pastores, esse índice é maior que em outras profissões. Recentemente foi verificado que em um grupo amostral 26% eram pastores portadores de problemas psiquiátricos no caso, depressão. Segundo a pesquisa de Lotufo Neto, medico psiquiatra e professor de medicina do hospital das clinicas em São Paulo,  foi encontrado maior incidência de doenças mentais entre ministros protestantes se comparados à população geral, e os transtornos depressivos responderam por 16,4% das doenças mentais encontradas nos ministros protestantes.

Conforme pesquisas da Universidade do Rio Grande do Sul UNISINOS o pastor, líder carismático, ungido, investido da imagem do "homem de Deus" na comunidade, tem que estar sempre pronto e disponível para as atividades pastorais. Essa pronta disponibilidade atrelada à falta de um horário determinado para as atividades pastorais é apontada como uma das causas predisponentes a doenças. Essas atividades frequentemente demandam uma alternância de emoções: sepultamento pela manhã, reunião de liderança à tarde, casamento em final de tarde e culto à noite; ou seja, a vivência, num mesmo dia, da dor e do luto, o exercício da lógica e a preocupação, a celebração de momento de alegria, prédica e exortação; e atreladas a essas atividades, todas as emoções sentidas, expressas e contidas pelo veículo sagrado.

A função pastoral está atrelada a responsabilidades e preocupações com o reino de Deus de uma forma ampla (crescimento do reino, manutenção, assistência a lideres e a irmãos da igreja, entre outros.), todas estas coisas causam um desgaste físico e às vezes até emocional. Existem alguns fatores na análise de uma depressão. São eles:

Fisiopatologia fatores endógenos: Existem várias hipóteses para a depressão e uma das hipóteses mais aceitas é a hipótese biológica. As deficiências dos neurotransmissores como:  serotonina (substância que modula o humor, sono e  apetite,), noradrenalina (moduladora do humor ),( dopamina substância estimulante). O baixo nível de captação neuronal  dessas substâncias causa a depressão.

Fisiopatologia fatores exógenos: Fatores ambientais, como por exemplo, o estresse, circunstâncias adversas, problemas profissionais, familiares, momentos de perda, de ruptura, etc., ou seja, trata-se de uma Depressão causada fundamentalmente por fatores ambientais externos.

Sintomas: Os sintomas de depressão são muito variados, e podem mudar de uma pessoa para outra. Existe uma forma didática e básica para conseguir detectar seus sintomas e são  chamados: A) Inibição Psíquica, B) Estreitamento do campo Vivencial, C) Sofrimento Moral.

A)    Inibição Psíquica: Inibição psíquica é o processo pelo qual leva o deprimido a ficar lento em suas ações, ela faz com que tarefas do cotidiano se tornem uma eternidade, pois não há dinamismo mental, ela compromete a memória e o rendimento intelectual e verbal.

B)   Estreitamento do campo Vivencial ( perda de prazer): É uma expressão que representa a progressiva perda do prazer. Essa evolução da depressão pode chegar a Anedonia, que é a incapacidade em sentir prazer em suas atividades até mesmo as que no passado geravam prazer. Nesta fase o indivíduo se fecha para o mundo, pois não há ânimo para as atividades ocupacionais, as quais são substituídas por grandes períodos de isolamento. Não existe com os outros e nem consigo mesmo, nada mais pode gerar prazer.

C)Sofrimento Moral, ( autoestima baixa): Esse sentimento é caracterizado por sentimentos de menos valia, trata-se de um sentimento de autodepreciação, autoacusação, inferioridade, incompetência, culpa, rejeição, fraqueza.

Dados demonstram que na fase do sofrimento moral é elevado o número de pessoas com ideação suicida, a pessoa depressiva se vê como o pior ser humano, e se acha o ser humano mais incompetente do mundo. Para diminuir ou acabar com essa dor, alguns buscam a saída no suicídio.

Em sua pesquisa o Dr° em psiquiatria e presbítero da Igreja Presbiteriana do Brasil, Pércio ,identificou que algumas causas que levaram esse grupo amostral de pastores a depressão.São elas:

-Problemas com lideranças de igreja;
-Baixa remuneração;
-Mudança constante de igreja;
-Falta de apoio da igreja local, pastor tem expectativas que não são correspondidas pela igreja;
-Estresse relacionado à atividade pastoral;
-Também foram observadas as queixas das esposas com relação ao tratamento dado pela igreja;
-Pecado e enfraquecimento na fé.

A bíblia nos mostra homens que tiveram grande experiência com Deus e que passaram por momentos de comprometimento de sua saúde, Elias é um dos personagens que passou por uma depressão. Mesmo tendo passado por este período difícil de sua vida, Deus lhe mostrou uma saída.

 Algumas intervenções para  superar a depressão:

1 ) Abrindo-se para uma experiência diferente com Deus.  I Reis 19: 5-21.

E depois do terremoto, um fogo, porém também o Senhor não estava no fogo; e depois do fogo uma voz mansa e delicada. E sucedeu que, ouvindo-a Elias, envolveu o seu rosto na sua capa, e saiu, e pôs-se à entrada da caverna. E eis que veio a ele uma voz, que dizia: Que fazes aqui, Elias? 1 Reis 19:12-13

No quadro depressivo é comum as pessoas se fecharem para o mundo, porém deve-se  incentivar a busca pela experiência com Deus, pois ele sabe como nos ajudar neste processo. Elias só conseguiu superar devido essa experiência espiritual que mudou sua vida e ministério.

2 )  Sabendo que nossa missão é importante para Deus

E o Senhor lhe disse: Vai, volta pelo teu caminho para o deserto de Damasco; e vem, e unge a Hazael rei sobre a Síria. 1 Reis 19:15

Deus estava reafirmando que a tarefa de Elias era importante para nação de Israel, o cenário espiritual político estava em declínio e Elias era o homem que seria usado para promover mudanças. Quando alguém entra no quadro depressivo logo seu trabalho, família e comunidade não têm mais importância. É necessário realçar essa verdade que Deus, em seus propósitos conta com aquela pessoa.

3 ) Superando a decepção com o próximo

E ele disse: Eu tenho sido em extremo zeloso pelo Senhor Deus dos Exércitos, porque os filhos de Israel deixaram o teu concerto, derribaram os teus altares, e mataram os teus profetas à espada; e só eu fiquei, e buscam a minha vida para ma tirarem. 1 Reis 19: 14

A depressão de Elias era exógena, a falta de compromisso das pessoas, o descaso com o sagrado, a superficialidade fizeram com que aflorasse a depressão. Pessoas com o perfil de perfeccionismo, podem no decorrer do ministério se frustrar, pois, encontrão pessoas descompromissadas. È necessário saber que nossa missão é oferecer apoio e alimento espiritual e caberá ao outro decidir pela escolha. Desta forma teremos claro em nossa consciência o senso de dever cumprido.

4 ) Utilizar o modelo comportamental adotado por Jesus.

Jesus é nosso protótipo perfeito em tudo, ele possuía  engajamento social saudável.

E, ao terceiro dia, fizeram-se umas bodas em Cana da Galiléia, e estava ali a mãe de Jesus. E foi também convidado Jesus e os seus discípulos para as bodas. João 2:1-2

Um dos fatores exógenos que leva a depressão é o distanciamento social. Jesus demonstrou muitas vezes estar envolvido  com eventos sociais saudáveis.

Dentro da agenda de Jesus ele destinava períodos para recarregar suas  energias vitais, dando tempo para a reflexão, descanso da fatiga gerada pela ministrações. É de suma importância que o ministro saiba desfrutar também de tempos para renovação física e mental. Afastando assim alguns motivos que desencadeiam a depressão.

A depressão não escolhe idade nem classe social, e nenhum de nós estamos isentos de passar por ela, é de suma importância que nós ministros estejamos atentos para esses sinais, pois o diagnóstico precoce e a prevenção ainda é o melhor remédio para cura.

Bibliografia
Deus G. Ribeiro Pérsio. Um Estudo da Depressão em Pastores Protestantes.
LOTUFO NETO, F. Psiquiatria e religião. A prevalência de transtornos mentais entre ministros protestantes. 1977. Tese (Livre-Docência)-Universidade de São Paulo, São Paulo, 1977
ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DA SAÚDE. Classificação de transtornos mentais e de comportamento do CID 10: descrições clínicas e diretrizes diagnósticas. 10. ed. Porto Alegre: Artes Médicas, 2000. UNISINOS. Stress na vida religiosa.
http://www.estadao.com.br/noticias/geral,oms-depressao-sera-doenca-mais-comum-do-mundo-em-2030,428526,0.htm  acesso em 12/02/2009.
http://virtualpsy.locaweb.com.br/index.php?art=301&sec=26  acesso em 01/03/2008

Reprodução autorizada desde que mantida a integridade dos textos, mencionado o autor e a fonte como: http://www.institutojetro.com/ e comunicada sua utilização através do e-mail artigos@institutojetro.com.

Leia também
O stress no ministério pastoral
Esgotamento físico e mental em pastores
Síndrome de burnout: não se deixe queimar

URL: http://www.institutojetro.com/artigos/lideranca-pastoral/depressao-em-pastores.html
Site: www.institutojetro.com
Título do artigo: Depressão em pastores
Autor: Pr. Alessandro Francisco da Silva

Mais Lidos

carregando...

Comentários