Crise econômica: uma perspectiva - Liderança Geral - Artigos - Instituto Jetro

carregando...
Home > Artigos > Liderança Geral > Crise econômica: uma perspectiva

Crise econômica: uma perspectiva


Publicado em 29.01.2009

Uma breve pesquisa no Google sobre a "crise econômica atual" nos dá uma resposta de 1.7 milhões de itens. Ao cruzar com o termo "evangélico" chegamos a 86.500 artigos relacionados com cristãos que apresentam desde encorajamento bíblico até soluções mágicas mirabolantes para a crise. Minha abordagem neste artigo não poderá resolver um assunto tão complexo, mas quero oferecer uma perspectiva, simples e direta.

O arroz e feijão de cada dia nos dá hoje

Salomão afirmou que "com a sabedoria edifica-se a casa, e com a inteligência ela se firma; pelo conhecimento se encherão as câmaras de toda sorte de bens, preciosos e deleitáveis" (Pv 24:3,4). Este tripé da vida bem-sucedida ainda é a melhor resposta. Ou seja, quem normalmente pratica a inteligência financeira estará sempre seguro. Pode parecer incrível, mas isto inclui somente quatro pontos:

·          Produzir - inclui o trabalho diligente, constante e de alta qualidade que o cristão deve praticar todos os dias de sua vida.

·          Guardar - inclui gastar menos, ter casas, carros e itens mais modestos, ter um estilo de vida mais simples com custos operacionais menores e evitar as dívidas. Como diz o ditado: "Quem guarda, tem".

·          Investir - inclui o bom uso do dinheiro que você já guardou. Você pode investi-lo em negócios, pode economizar pedindo desconto na compra à vista de produtos mais duráveis e, logicamente, deixar o dinheiro trabalhando para você através de investimentos financeiros.

·          Contribuir - inclui pagar impostos, dar ao pobre, sustentar organizações de ajuda comunitária, e contribuir com evangelismo e missões.

Os que praticam uma gestão financeira prudente todos os dias da vida irão já estão agora mesmo enfrentando a crise de forma mais tranqüila. Este é o feijão com arroz de cada dia, a sabedoria prática da inteligência financeira que mantém todos os seus seguidores no caminho da paz.

Quem não alimenta a vaca vai conviver com a costela ambulante
Mas nem todos são como José do Egito que guardou o trigo durante o tempo das vacas gordas para ter não somente o que comer, mas também a possibilidade de fazer novos negócios no tempo das vacas magras. Se você não alimentou a sua vaca, provavelmente você já está assustado com aquele animal magro com costelas expostas que apareceu no seu sertão.

Se você é uma daquelas pessoas que não guarda dinheiro, a crise econômica já lhe atingiu com muita força. Então, quero lhe propor um exercício. Aqui estão algumas perguntas que você precisa considerar. Faça uma auto-avaliação bem rápida. Responda "sim" ou "não" para as 10 perguntas abaixo:

1. Você faz diferença entre as suas necessidades e desejos?
2. Você sabe esperar para satisfazer seus desejos mais tarde?
3. Você reconhece seu desequilibro psicológico de comprar compulsivamente?
4. Você estabelece prioridades em seu plano de gastos?
5. Você tem um plano financeiro?
6. Você consegue guardar algum dinheiro?
7. Você faz planos de longo prazo para comprar mais tarde à vista?
8. No último Natal você não acreditou nas promessas de crédito e gastou menos?
9. Você acredita que algumas de suas respostas acima são pecaminosas?
10. Você está disposto a mudar?

Se você respondeu "não" para um número elevado das perguntas acima, você está com sérios problemas e a vaca magra já está no seu pasto. Espero que você tenha respondido "sim" pelo menos nas duas últimas, pois isto gera esperança.

Se você não tem praticado um estilo de vida realmente cristão e equilibrado nesta área financeira, você precisa ter a perspectiva bíblica sobre esta crise. Ela será uma ferramenta usada por Deus para produzir momentos pessoais de reflexão muito profunda que devem conduzi-lo ao arrependimento e à mudança. Espero sinceramente que você consiga se arrepender diante de Deus, superar suas dificuldades e se preparar para uma nova etapa.

Encorajamento está disponível
 

Já que a ansiedade abate uma pessoa (Mt 6:24-34; Pv 12:25), todos nós precisamos de encorajamento. Mas não aquele do tipo superficial. Não adianta levantar de manhã e repetir o mantra - "tudo vai dar certo" - 10 vezes antes de colocar o pé no chão. Gostaria de lhe oferecer algumas informações que podem ajudá-lo a ter uma atitude mais positiva no meio da crise.

·          Não acredite totalmente na mídia. Eles têm a tendência de se mover em rebanhos: quando um fala, todo mundo copia. Eles fazem um alarde sobre um acidente de avião, mas não relatam os milhares que chegaram ao destino em segurança. Não permita que a notícia alarmante do jornal afaste você da tranqüilidade da fé em Cristo.

·          Entenda que existem ciclos de recessão. É verdade que a história passada não é um indicador perfeito, mas é um indicador que temos. Quando analisamos os ciclos da bolsa de valores, por exemplo, encontramos que tempos de recessão e também de grande crescimento acontecem normalmente. O site de Finanças Pessoais Cristãs (*) apresenta um estudo da bolsa de valores de Nova Iorque que lista as 24 recessões no século passado. Ele conclui que nenhuma delas durou mais de três anos, que a média de duração de cada crise foi de apenas 15 meses e que, um ano depois que o ciclo de recessão se completou, na grande maioria das vezes, o mercado se recuperou e mostrou ganhos, algumas vezes consideráveis. Então, esta crise também vai passar.

·          Confie em Deus de forma ativa. Confiança em Deus é um estado de alma e também uma ação prática. Ela inclui sair mais uma vez para procurar emprego, entregar currículos e trabalhar com afinco mesmo com redução de salário. Aceite o momento difícil diante de Deus, não se afaste da família e amigos, pela força interior para o Senhor Jesus, agarre no seu próprio colarinho e force a sim mesmo a sair para buscar soluções.

·          Deus está em controle. Deus é soberano no macro da economia mundial e também no micro universo de sua vida. Ele conhece suas necessidades pessoais e familiares. Por isso, você precisa entregar seu coração ansioso ao Senhor, em nome de Jesus, em oração, todos os dias de sua vida. E por falar em oração, aqui vai meu último ponto.

Seria apropriado orar pela economia?

Sem dúvida. O profeta Jeremias disse que deveríamos orar pela paz da cidade, pois se a cidade estivesse em paz, nós também teríamos paz (Jr 29:7). Se o Brasil estiver melhor, todos nós estaremos em situação melhor. Se os líderes mundiais resolverem a crise mundial, todos nós seremos beneficiados.

Graça Comum é o nome que os teólogos dão para aquelas ações de Deus que abençoam a todos os homens, bons e maus. Creio que a graça comum inclui uma economia estável cuja origem não está necessariamente na ação de cristãos (mas pode incluí-la), mas certamente está muito relacionada com decisões tomadas por pessoas que não conhecemos. Quando há uma economia forte, há estabilidade social e financeira que abençoa a todos. Por isso, precisamos orar.

·          Orar pela integridade dos oficiais e líderes do governo, pela sua sabedoria financeira e pelo seu senso de responsabilidade pelo bem estar do povo.

·          Orar pela restrição e punição daqueles que são movidos pela ganância em tantos níveis.  Que todos se comprometam com a transparência na prestação de contas.

·          Orar pelos empresários e diretores de empresas que precisam tomar decisões sobre a saúde de suas organizações. Que eles sejam criativos. Que olhem também o lado do funcionário, tal como aquela empresa em Cingapura que, de comum acordo, decidiu diminuir a semana em um dia (e conseqüentemente os salários) ao invés de demitir seus funcionários.   

·          Orar por todos aqueles que estão desempregados. Que eles consigam um trabalho honesto que possa suprir suas necessidades básicas.  

·          Orar para que os cristãos em particular, continuem sendo generosos com a obra de Deus que também precisa ser sustentada mesmo em tempo de crise. Lembre-se que missionários no campo e funcionários nos escritórios das agências do Reino de Deus ainda precisam ser mantidos até que o ciclo da crise se complete.

Esta é a perspectiva que desejei compartilhar com você neste artigo. Não apresentei grandes novidades teológicas e práticas, mas creio que esta normalidade sem alarde pode nos encorajar nestes dias tão difíceis. Ansiamos por dias melhores e por equilíbrio financeiro e emocional dentro de cada um de nós. Que o Senhor lhe dê a inteligência, conhecimento e sabedoria para passar pelo vale da crise econômica enquanto continuamente oramos pela paz a favor de todos que estão em grandes dificuldades.

(*) Você pode encontrar um estudo muito esclarecedor sobre os ciclos de recessão no site da Christian Personal Finance: http://www.christianpf.com/recession-cycles-economic/  O quadro dos ciclos mencionados neste artigo já foi traduzido e pode ser baixado através deste site clicando aqui.

Reprodução Autorizada desde que mantida a integridade dos textos, mencionado o autor e o site www.institutojetro.com e comunicada sua utilização através do e-mail artigos@institutojetro.com

Leia Também:
O cuidado com as finanças
O cuidado com as finanças 2
Superando a crise
 

URL: http://www.institutojetro.com/artigos/lideranca-geral/crise-economica-uma-perspectiva.html
Site: www.institutojetro.com
Título do artigo: Crise econômica: uma perspectiva
Autor: Ebenézer Bittencourt

Mais Lidos

carregando...

Comentários