Princípios bíblicos para finanças - Finanças e Contabilidade - Artigos - Instituto Jetro

carregando...
Home > Artigos > Finanças e Contabilidade > Princípios bíblicos para finanças

Princípios bíblicos para finanças


Publicado em 26.07.2006

Falar sobre finanças parece ser algo muito pouco espiritual. Sendo mais realista ainda, tenho a impressão que temos uma mente programada para associar esse assunto a algo totalmente diabólico. Lembramos de Mamom, coisas materiais e carnais. Acontece, entretanto, que, na prática, não podemos ignorar o fato de que lidamos com esse assunto todos os dias.

Existem 1.565 versículos que falam em dinheiro. Curiosamente, dos 107 versículos do sermão do monte 28 se referem a dinheiro. Além disso, Jesus se referiu ao dinheiro (ou riqueza) em 13 parábolas. Isso mostra como a Bíblia trata desse assunto com expressividade.

O Senhorio de Deus é sobre absolutamente todas as coisas, inclusive sobre as riquezas e os recursos. Ele tem todo o poder e autoridade sobre tudo e todos. O profeta Ageu escreveu que o Senhor dos Exércitos disse: “minha é a prata e meu é o ouro” (Ag 2:8). Desde os tempos de Moisés havia a compreensão que  “…é Ele que te dá força para adquirires riquezas…” ( Deut. 8:18)

No livro “O Seu Dinheiro” o Pastor Howard Dayton aponta 3 razões porque devemos aprender a lidar com o dinheiro:

(1) a maneira como lidamos com dinheiro afeta nossa comunhão com o Senhor. Segundo Lucas, “Se, pois, não vos tornastes fiéis na aplicação das riquezas de origem injusta, quem vos confiará a verdadeira riqueza?”  (Lc 16:11);

(2) em certo sentido, as posses competem com o Senhor pelo domínio de nossas vidas. Aqui cabem as palavras de Jesus que “ninguém pode servir a dois senhores, porque ou há de aborrecer-se de um e amar o outro, ou se devotará a um e desprezará o outro. Não podeis servir a Deus e às riquezas” (Mt 6:24);

(3) Grande parte da nossa vida gira em torno do dinheiro. Por isso devemos estar atentos em tomar decisões corretas quanto ao uso de nosso dinheiro.

Vamos apontar 15 princípios bíblicos sobre finanças e citar referências dos textos para fundamentar esses princípios. Comentários adicionais se fazem desnecessários. Abra seu coração e deixe o Espírito de Deus revelar em sua vida a aplicação de cada princípio desses. Quais estão sendo seguidos? Quais precisam ser aprendidos e vividos? Enfim, o que importa é entender, confirmar ou mudar. Isso é obra do Espírito de Deus em nosso interior. Neste informativo, comentaremos 8 deles. Vamos em frente:

1. Viver do nosso trabalho

Ef. 4:28 “Aquele que furtava, não furtes mais; antes, trabalhe, fazendo com as próprias mãos o que é bom, para que tenha com que acudir o necessitado”.
Sl. 128:2 “Do trabalho de tuas mãos comerás, feliz serás e tudo te irá bem”.

1 Tes.4:10-12  “Contudo, vos exortamos, irmãos, a progredirdes cada vez mais e a diligenciardes por viver tranquilamente, cuidar do que é vosso e trabalhar com as próprias mãos, como vos ordenamos, de modo que vos porteis com dignidade para com os de fora e de nada venhais a precisar”.

2. Contentarmos com o que temos

1 Tim.6:6-8 “De fato, grande fonte de lucro é a piedade com o contentamento. Porque nada temos trazido para o mundo, nem coisa alguma podemos levar dele. Tendo sustento e com o que vestir, estejamos contentes”.

3. Não ter apego ao dinheiro

1 Tim.6:9-10 “Ora, os que querem ficar ricos caem em tentação, e cilada, e em muitas concupiscências insensatas e perniciosas, as quais afogam os homens na ruína e perdição. Porque o amor ao dinheiro é a raiz de todos os males, e alguns nessa cobiça, se desviaram da fé e a si mesmos se atormentaram com muitas dores”.

1 Tim.6:17-19 “Exorta aos ricos do presente século que não sejam orgulhosos, nem depositem a sua esperança na instabilidade da riqueza, mas em Deus, que tudo nos proporciona ricamente para nosso aprazimento, que pratiquem o bem, sejam ricos de boas obras, generosos em dar e prontos a repartir, que acumulem para si mesmos tesouros, sólido fundamento para o futuro, a fim de se apoderarem da verdadeira vida”.

4. Planejar os gastos

Lc.14:28 “Pois qual de vós, pretendendo construir uma torre, não se assenta primeiro para calcular a despesa e verificar se tem os meios para a concluir?”

Planejar vem antes de gastar.

5. Nunca ficar devendo nada a ninguém

Rm.13:7-8 “Pagai a todos o que lhes é devido: a quem imposto, imposto; a quem respeito, respeito; a quem honra, honra. A ninguém fiqueis devendo coisa alguma, exceto o amor...”

Prov.22:7 “O rico domina sobre o pobre, e o que toma emprestado é servo do que empresta.”

6. Investir no que é necessário

Is.55:2 “Por que gastais o dinheiro naquilo que não é pão, e o vosso suor naquilo que não satisfaz? Ouvi-me atentamente, comei o que é bom e vos deleitareis com finos manjares.”

7. Honrar a Deus com os nossos bens

Prov.3:9-10 “Honra ao Senhor com os teus bens e com as primícias de toda a tua renda, e se encherão fartamente os teus celeiros e transbordarão de vinho os teus lagares.”

8. Não viver às custas dos outros

2 Tessal.3:7,8,10,12 “...pois vós mesmos estais cientes do modo por que vos convém imitar-nos, visto que nunca nos portamos desordenadamente entre vós, nem jamais comemos pão a custa de outrem; pelo contrário, em labor e fadiga, de noite e de dia, trabalhamos, a fim de não sermos pesados a nenhum de vós ...Porque, quando ainda convosco, vos ordenamos isto: se alguém não quer trabalhar, também não coma...A elas, porém, determinamos e exortamos, no Senhor Jesus Cristo, que, trabalhando tranqüilamente, comam o seu próprio pão...”

No próximo informativo, apresentaremos outros 7 princípios. Não perca!

Reprodução Autorizada desde que mantida a integridade dos textos, mencionado o autor e o site www.institutojetro.com e comunicada sua utilização através do e-mail artigos@institutojetro.com

URL: http://www.institutojetro.com/artigos/financas-e-contabilidade/principios-biblicos-para-financas.html
Site: www.institutojetro.com
Título do artigo: Princípios bíblicos para finanças
Autor: Rodolfo Montosa e José Roberto Luppi

Mais Lidos

carregando...

Comentários