A importância de dividir as atribuições - Administração Geral - Artigos - Instituto Jetro

carregando...
Home > Artigos > Administração Geral > A importância de dividir as atribuições

A importância de dividir as atribuições


Publicado em 15.09.2015

O sogro de Moisés, porém, lhe disse: Não é bom o que fazes!
Exôdo 18:17

Interessante a presença de Jetro entre os que estavam iniciando uma nova sociedade. Nos versos anteriores, Jetro fica maravilhado pelos acontecimentos que antecederam este encontro.  Moisés estava trabalhando em uma boa causa porém da maneira errada.

Líderes, podemos tomar como exemplo este cenário e refletir a forma que estamos liderando, a forma como estamos pleiteando as causas do povo. Moisés possivelmente poderia rejeitar instruções, ainda mais de um Ancião que não esteve presente nos piores momentos da jornada.

Jetro não esteve presente quando o bebê foi colocado no rio;
Jetro não esteve presente quando recebeu as primeiras instruções no palácio; Jetro não esteve presente no homicídio do egípcio;
Jetro não presenciou a visita de Deus à Moisés na Sarça Ardente;
Jetro não presenciou a briga de Moisés com Deus quando depois da experiência rejeitou e pediu para que enviasse outro em seu lugar;
Jetro não participou de nenhuma negociação junto com Faraó para liberar o povo ao sacrifício;
Jetro não experimentou as pragas e nem tão pouco viveu a noite em que o anjo visitou os filhos mais velhos;
Jetro não passou o Mar Vermelho à seco e nem tao pouco teve a sensação de medo do exercito de Faraó que apertava o cerco.

Porém Jetro foi visitar Moisés e no dia seguinte, sendo um homem experiente, acompanhou o expediente de Moisés.
Será que ele queria tirar a prova da fala de Moisés sobre a história contada no dia anterior? Possivelmente não era este o propósito, mas que Ele ficou mais um dia hospedado ele ficou e este foi a chave para observar o "modus operandis" do líder Moisés.

Alguns líderes sentem mal quando outras pessoas observam sua forma de trabalhar, ficam desconfortáveis, pois ser observado, colocado à prova não é algo tão simples assim, requer controle e acima de tudo humildade em receber feedbacks positivos e negativos.

Agora que Moisés e o povo estavam numa fase mais tranquila, pois os piores momentos da libertação já era história, chega Jetro, escuta as maravilhas das conquistas, celebra, oferece sacrifício, mas diz a Moisés: "Não é bom o que fazes".

Numa leitura mais simples poderemos bater palmas, elogiar, ficar admirado por Moisés ter a preocupação de julgar as causas do povo, (e eram cerca de dois milhões de pessoas, gente pra valer). Aprendo que muitos líderes podem estar fazendo ou agindo em causas nobres porém da maneira errada. Como nos sentiríamos se uma pessoa estranha das nossas conquistas dissesse em alto e bom som: Não é bom o que fazes !!!!

Moisés poderia pensar: "quem é este que fala desta forma, sou homem de Deus, fui chamado por Deus, fui ungido para ser o libertador destes ex- escravos, espere um pouco, alguém diz à Jetro que eu sou o Líder deste povo, eu sou o Pastor, eu que fui chamado e designado para tal grande obra. Agora chega este ausente e quer me ensinar, que corrigir ou demonstrar a forma correta de liderar meu povo?"

Moisés tem um comportamento interessante, diante de Deus ele dizia que o Povo era de Deus e diante dos homens ele afirmava que o povo era seu. 

A atitude de Moisés 

Qual seria seu sentimento se em algum momento do seu ministério escutasse um conselho como o de Jetro ? Qual seria seu comportamento ?

Moisés aprendeu lá atrás quando se sentiu limitado em não ter a habilidade para negociar com Faraó e Deus preparou a excelência da oratória em Arão, seu irmão mais velho, para completar o ministério limitado de Moisés. Agora neste conselho recebe o sinal vermelho onde sua atitude centralizadora poderá diminuir seu tempo de vida por isto ele precisa mudar, precisa repensar sua atitude de fazer tudo sozinho. 

Precisamos estar atentos e sensíveis em perceber quem são as pessoas que estão em nosso entorno que foram colocadas para nos ajudar a dividir a carga. Toda liderança concentrada, limitada à meia dúzias de pessoas, sofrerá danos pois não tem a humildade em compartilhar, em distribuir as tarefas e seu corpo físico, mental e espiritual não aguentará a pressão sofrida pelas mazelas da vida e do ministério.

Interessante que Jetro ao cumprir seu papel de consultor na gestão de pessoas vai embora e segue seu caminho. Talvez, se fosse eu conversaria em particular com Moisés para arrumar uma função estratégica na sua liderança. Perceba que a instrução de Jetro foi que separassem pessoas idôneas e com divisões estratégicas, e seguiu seu caminho. Uma característica destes novos líderes seria a de pessoas disponíveis para servir o povo.

Você líder senior pode revisar que tipo de liderança faz parte do seu staff, será que estes estão disponíveis para servir o povo ? Ou são fáceis e habilidosos em mostrar atividade somente quando estão expostos ao glamour do status?

Siga o conselho e esteja atento para poder aliviar sua carga e não tenha medo em distribuir as tarefas, em ter uma equipe para poder continuar na missão que foi estabelecida por Deus sobre sua vida e ministério.  Afinal de contas fomos feitos com ministérios limitados de propósito para poder contar com nosso próximo. O grande segredo é: Nosso ministério se completa em nosso próximo e não existe liderança só.

Reprodução Autorizada desde que mantida a integridade dos textos, mencionado o autor e o site http://www.institutojetro.com/ e comunicada sua utilização através do e-mail artigos@institutojetro.com

Leia Também
Delegar para não desistir
Delegar é preciso
Delegação: muito falada, pouco praticada

URL: http://www.institutojetro.com/artigos/administracao-geral/a-importancia-de-dividir-as-atribuicoes.html
Site: www.institutojetro.com
Título do artigo: A importância de dividir as atribuições
Autor: Enoque Caló

Mais Lidos

carregando...

Comentários