Artigos

Compartilhe

Reflexão

Inimigos do potencial


Temos, porém, este tesouro em vasos de barro, para que a excelência do poder seja de Deus e não de nós.... Levando sempre no corpo o morrer de Jesus, para que também a sua vida se manifeste em nosso corpo. Porque nós, que vivemos, somos sempre entregues à morte por causa de Jesus, para que também a vida de Jesus se manifeste em nossa carne mortal. De modo que, em nós, opera a morte, mas, em vós, a vida. Tendo, porém, o mesmo espírito da fé,como está escrito: Eu cri; por isso, é falei. Também nós cremos; por isso, também falamos.  (II Coríntios 4: 7,10 -13)

Vasos de Barro 

Vemos na Bíblia relatos extraordinários que foram realizados por pessoas simples e comuns. Pessoas que não tinham nada de extraordinário, mas que foram instrumentos para realizarem feitos que nunca foi visto ou ouvido. 

Personagens que maximizaram o potencial: 
- um homem conseguiu através de sua liderança conduzir mais de três milhões de pessoas pelo deserto, sustentá-los por 40 anos, atravessar no meio de um grande mar e conduzí-los à uma terra maravilhosa.
- Outro homem conseguiu através de sua oração fazer o sol parar e com apenas gritos e trombetas derrubar uma das fortalezas do mundo antigo, considerada quase indestrutível.
- Ainda outro com apenas 300 soldados amedrontados vencerem um Exército poderoso de 135 mil guerreiros.
- Um adolescente raquítico e ruivo sem nenhum treinamento militar, consegue vencer numa batalha desigual um grande gigante com apenas um estilingue e cinco pedrinhas. Este homens viveram o que está escrito em Efésios 3:20.

O trabalho do destruidor

O mundo é perito em abortar o potencial. Não fará nada para ajudá-lo a revelar e usar seu eu oculto, mas também irá, provavelmente, desanimá-lo, medindo seus esforços contra os padrões de sucesso - padrões que ele produziu, porque o mundo não sabe o que é o verdadeiro sucesso.

Tenha cuidado com estes padrões e com as palavras depreciativas daqueles que vivem por esses padrões porque, se você permitir, eles irão minar sua jornada. 
Você é responsável por liberar seu potencial. Ninguém mais pode ou irá fazê-lo por você.

Liberar um pouco do potencial, no entanto, não significa que você liberou todo seu potencial. Liberar todo o potencial exige que você o descubra, proteja, cultive e compartilhe, obedecendo às leis da limitação relativas a ele. Estes são pontos-chave para a maximização do potencial. Muitas vezes aquilo que deveria ocorrer não acontece, porque em algum lugar entre o sonho e sua realização nossas grandes aspirações são esmagadas e destruídas. Este é o trabalho do destruidor.

Os principais inimgos do potencial:

1 - DESOBEDIÊNCIA: Desobediência é quando entendemos algo da parte de Deus e não fazemos ou continuamos no mesmo erro. A Bíblia repetidamente declara que a desobediência retém as bênçãos de Deus e derrama abundantemente Suas maldições sobre nós. Isso é verdade, porque a desobediência traz para nossas vidas as conseqüências naturais (ordenadas por Deus) de nossas ações.

Jonas aprendeu as conseqüências da desobediência quando embarcou em um navio na direção oposta da cidade para a qual Deus o estava enviando. Quase perdeu sua vida por afogamento.

A desobediência sempre desperdiça o potencial e retarda a realização dos objetivos. Você não pode persistir na desobediência e maximizar seu potencial. Para maximizar, sua vida deve se submeter à vontade de Deus em tudo.

2 - PECADO: Embora os efeitos da desobediência e do pecado sejam semelhantes, o pecado é uma doença mais primária, porque é uma total rebelião contra a conhecida vontade de Deus, ou em outras palavras, uma declaração de independência de sua Fonte.

O resultante afastamento de Deus destrói o potencial, porque não podemos conhecer a Deus se não tivermos Seu Espírito. Ele é a senha para destravar seu potencial. O pecado, fundamentalmente, diz: "Eu sei como dirigir minha vida melhor do que você, Deus".

Destruir seu relacionamento com Deus através do pecado é sempre suicídio. Você não pode se tornar quem Deus o criou para ser, persistindo em se rebelar contra Ele. Sem o Espírito de Deus vivendo e trabalhando no seu interior, você morrerá com seu potencial. O pecado tampa o poço do seu potencial. Para maximizar sua vida você deve evitar se comprometer com o pecado. 

3 - MEDO: Medo é não ter fé no impossível. É enfatizar tudo que poderia dar errado em vez de tudo que poderia dar certo. Por exemplo, apesar de acidentes realmente acontecerem e os carros precisarem ser cuidadosamente mantidos e conduzidos, o medo que nos impede de dirigir um automóvel imobiliza nosso potencial, porque limita rigorosamente onde podemos ir.

É bem provável que Davi estivesse com medo quando enfrentou o gigante Golias com um estilingue e cinco pedras na sua juventude. Todavia, ele dominou seu medo confiando em Deus, em vez de pensar em tudo que poderia dar errado, libertou os israelitas da opressão de seus inimigos e honrou o nome de Deus.

Sua fé em Deus o estimulou a ir além da timidez em direção ao poder. Medo é considerar Golias demasiadamente grande para ser atingido. Fé é ver Golias demasiadamente grande para não acertá-lo. Paulo escreveu para Timóteo sobre esta capacidade de ir além do medo (II Tm.1.6-7).

A fé, nosso modo de operação dado por Deus, combate o medo e estimula a maximização do potencial. Quem teme tentar nunca saberá o que poderia ter feito. Quem teme a Deus não tem nada a temer. Para maximizar sua vida você deve neutralizar o medo com a fé. No Salmo 27:1-3 o salmista expressa sua confiança em Deus.

4 - DESÂNIMO: A maior parte das coisas de valor exige paciência e perseverança. Nenhum pianista toca perfeitamente na primeira vez que põe a mão nas teclas, nem um atleta vence uma corrida na primeira vez que corre. Existem muitos momentos de desânimo entre uma experiência inicial e o aperfeiçoamento de uma habilidade.

Infelizmente, muito potencial é sacrificado no altar do desânimo. Talvez você tenha experimentado este inimigo quando notas musicais demasiadamente tristes dificultaram sua ambição de praticar, ou, a incapacidade de ganhar um prêmio o tenha tirado da corrida. Mas reproduzir a música até acertar e correr diariamente são os únicos caminhos para concretizar seu potencial.

Os pianistas de concerto e os atletas olímpicos não nascem assim. Eles vão além dos momentos de desânimo a fim de aperfeiçoar suas habilidades naturais. A mesma atitude é requerida de você para maximizar seu potencial. Deus não irá lhe dar um sonho a menos que Ele saiba que você tem os talentos, capacidades e personalidade para realizá-lo. Suas ordens revelam o potencial que Ele lhe deu antes de seu nascimento.

Ainda que esteja se sentido desanimado para concluir a tarefa, deve começá-la. Faça o que precisa ser feito, não importa quão difícil ou impossível às ordens de Deus pareçam. Então, o desânimo não terá oportunidade de destruir seu potencial. Para maximizar sua vida você deve neutralizar o desânimo com a esperança.

5 - ADIAMENTO: Quantas vezes você demorou tanto para tomar uma decisão que alguém a tomou em seu lugar? Quantas vezes você demorou tanto para concluir um projeto que era tarde demais para a sua finalidade? A maioria de nós faz isso com mais frequência do que gostaria de admitir.

A procrastinação, o adiamento de uma ação até um momento posterior, mata o potencial. Se você esperar as condições prefeitas, nunca fará nada (Ec 11:4). 
A ação de adiar uma decisão com frequência tem origem no desânimo. Quando nos tornamos desanimados, paramos de encontrar razões para fazer o que sabemos que podemos fazer. Então, Deus permite que sigamos nosso próprio caminho e soframos as conseqüências.

Mais cedo ou mais tarde, iremos descobrir que perdemos muito porque nos recusamos a agir quando Deus o exigiu. Com muita freqüência Ele encontrará outra pessoa para fazer o trabalho. O adiamento é um inimigo perigoso do potencial. Consome a própria essência de nosso tempo e motivação. Para maximizar sua vida você deve destruir o adiamento, eliminando todas as desculpas e motivos para não tomar uma atitude. Simplesmente faça-o! Adiar as decisões consome a própria essência de nosso tempo e motivação.

6 - FRACASSOS PASSADOS: Com muita freqüência não estamos dispostos a assumir riscos no presente, porque fracassamos no passado. O fracasso nunca é um motivo para parar de tentar. De fato, o fracasso oferece outra oportunidade para desfrutar do sucesso. O apóstolo Paulo descobriu a verdade desse princípio quando encontrou Jesus e deixou de perseguir a Cristo para pregar as boas novas da salvação de Deus (Fp 3:13-14).

Paulo estava ciente de suas falhas, mas se recusou a permitir que elas o impedissem de fazer o que ele sabia que poderia realizar. Acreditou que Deus o qual o chamou para servi-lo realizaria nele e através dele tudo que tinha como objetivo. Paulo confiou em um poder superior a ele mesmo. Paulo tinha cometido erros, mas em Cristo encontrou o motivo e a força para se levantar e continuar. Você deve fazer o mesmo ou nunca verá seu pleno potencial. Recuse-se a ser um perdedor, não importa quantas vezes tenha perdido. É melhor tentar e fracassar do que nunca tentar nada. Lembre-se de que você não pode se desenvolver olhando no espelho retrovisor. Para maximizar sua vida deve deixar o passado ser passado e deixá-lo para trás. 

7 - A OPINIÃO DOS OUTROS: Abandonar os sonhos porque os outros os depreciam ou dizem que estamos loucos por tentar, enfraquece o potencial. O mesmo ocorre se mudarmos nossos planos para satisfazer as idéias e expectativas de nossa família, amigos e sócios de negócios. Satanás usa aqueles mais próximos de nós, cujo opiniões valorizamos, para chegar ao nosso potencial. Ele mata nossa visão, abalando a fé em Deus e a confiança em nós mesmos.

Em virtude do destruidor usar aqueles em quem mais confiamos para impedir-nos de transformar nossa visão em realidade, devemos aceitar que ninguém está conosco exceto Deus. Não podemos confiar em nenhum ser humano para proteger nosso potencial. Somente nós somos responsáveis.

Recusando-nos a permitir que os comentários depreciativos dos outros nos desanimem, separando-nos da influência deles quando a visão se torna ameaçada e nos apegando às ordens e direções de Deus, podemos liberar a totalidade do poder de Deus, no nosso interior.

Jesus demonstrou a importância de ignorar a opinião dos outros quando foi para Jerusalém durante a Páscoa e as multidões acreditavam nEle por causa dos milagres que fazia (João 2:24-25). Ele tinha um bom motivo para ser cauteloso com respeito à aceitação da afirmação da multidão, pois conhecia a natureza instável das pessoas. Não confiava nos gritos de aprovação nem nos seus "tapinhas nas costas". Os elogios devem ser apreciados, mas não necessários.

Você também deve ter cuidado para não permitir que as opiniões dos outros influenciem suas decisões. Não confie nos outros para trabalhar para o seu bem. Com bastante freqüência as pessoas que você pensa que estão do seu lado irão se voltar contra você e destruir o que tem trabalhado para realizar.

Lembre-se de que é preciso que você se apresente para um público de uma só pessoa, o Senhor Jesus Cristo. Quando Ele aplaudir, então, você será vitorioso.

Reprodução Autorizada desde que mantida a integridade dos textos, mencionado o site www.institutojetro.com e comunicada sua utilização através do e-mail artigos@institutojetro.com.

Leia também
Sacola de desculpas