Artigos

Compartilhe

Reflexão

Palavras de afirmação

Palavras agradáveis são como favo de mel: doces para a alma e 
medicina para o corpo (Provérbios 16.24).

O que falamos tem uma grande importância: "Digo-vos que de toda palavra frívola que proferirem os homens, dela darão conta no Dia do Juízo; porque, pelas tuas palavras, serás justificado e, pelas tuas palavras, serás condenado" (Mateus 12.36-38).

Deus, quando nos criou, nos dotou com a capacidade da FALA. Bem por isso é importante não só o que falamos, mas a maneira como falamos. Palavras de afirmação devem ser palavras de:

Elogio. Veja como o noivo se dirige à sua querida noiva. "Tu és toda formosa, querida minha, e em ti não há defeito" (Cântico dos Cânticos 4.7), e como a noiva se reporta ao seu noivo. "As suas faces são como um canteiro de bálsamo, como colinas de ervas aromáticas; os seus lábios são lírios que gotejam mirra preciosa" (Cântico dos cânticos 5.13). Uma palavra de apreciação faz bem às pessoas que nos ouvem e nos relacionamos. Jesus elogiava as pessoas: "Ela fez o que pôde" (Marcos 14.8).

Motivação. Jesus falava e motivava as pessoas. "E eis que lhe trouxeram um paralítico deitado num leito. Vendo-lhes a fé, Jesus disse ao paralítico: Tem bom ânimo, filho; estão perdoados os teus pecados" (Mateus 9.2). Ouçamos o que ele falou ao pai desesperado:  "Tudo é possível ao que crê" (Marcos 9.23).

Esperança. Como foi que aquele pai que morava em Cafarnaum, era oficial do rei chegou a Jesus? Seu filho estava à morte. Jesus estava em Caná quando esse oficial o procurou. Diante do apelo dramático do pai, Jesus lhe falou: "Teu filho vive" (João 4.50). Devemos trazer em nossos lábios uma palavra boa, oportuna, uma palavra de vida e de esperança. "As palavras que eu vos tenho dito são espírito e são vida" (João 6.63). "A língua dos sábios é medicina" (Provérbios 12.28b).  "O Senhor Deus me deu língua de eruditos, para que eu saiba dizer boa palavra ao cansado. Ele me desperta todas as manhãs, desperta-me o ouvido para que eu ouça como os eruditos"  (Isaías 50.4).

Temperadas. Paulo, na sua epístola aos Colossenses 4.6, diz: "A vossa palavra seja sempre agradável, temperada com sal, para saberdes como deveis responder a cada um". Devemos não só ter nos lábios palavras de afirmação mas é importante que as profiramos com doçura. Como seria a maneira como Jesus falava com as pessoas? Ele falava e encantava, emocionava os seus ouvintes. Os próprios guardas que foram enviados para prendê-lo voltaram maravilhados dizendo: "Jamais alguém falou como este homem" (João 7.46). "Quando Jesus acabou de proferir estas palavras, estavam as multidões maravilhadas da sua doutrina" (Mateus 7.28).

Conclusão. Palavra de afirmação é uma das linguagens do amor. "A boca fala do que está cheio o coração". Quando o nosso coração está cheio de amor as nossas palavras também serão carregadas de amor. Deus nos ajude nos capacitando a sermos canais de amor. Seja a nossa oração a mesma do salmista. "As palavras dos meus lábios e o meditar do meu coração sejam agradáveis na tua presença, Senhor, rocha minha e redentor meu!" (Salmo 19.14).

Texto cedido gentilmente pelo autor e originalmente publicado no site  www.ipilon.org.br 
Para obter autorização para reprodução do texto, entrar em contato pelo e-mail comunicacao@ipilon.org.br

Leia também
Elogio é coisa de vivos
Feedback: responsabilidade de todo líder