Artigos

Compartilhe

Comunicação e Marketing

Coaching, Mentoring e Counseling: qual a melhor ferramenta?


Coaching, Mentoring  e Counseling são assuntos da moda entre os gestores das organizações. O principal motivo é a capacidade mais avançada da ferramenta de gerar resultados rápidos, eficazes e personalizados, que o trabalho de Treinamento e Desenvolvimento (T & D), sem desmerecer este.

Com pouco tempo de trabalho - seis meses -, a organização é capaz de mensurar resultados de melhoria da performance dos seus colaboradores, em especial aquelas que possuem políticas de desenvolvimento de pessoas e recursos humanos. E as organizações cristãs também podem se beneficiar com Coaching ou Mentoring? A resposta é um sonoro sim.

Apesar de estar atuando como Coach Executivo em organizações privadas com excelentes resultados ainda não trabalhei com instituições cristãs. Mas é preciso compreender o real sentido das duas ferramentas para se ter a opção correta de utilização com foco em resultados.

No entanto, o Coaching é bastante confundido com terapia organizacional ou apenas feedback, principalmente se este vier acompanhado da aplicação da Avaliação 360 Graus; mas o trabalho é muito mais completo e ideal para as organizações que estão interessadas em transformar equipes em times de alta performance. 

Na atual conjuntura, que exige performance em altos níveis, o processo de Coaching Executivo se destaca, uma vez que visa investir nos profissionais assegurando melhores níveis de desempenho e capacitação para novos desafios presentes diariamente nas organizações públicas, privadas e do terceiro setor.

O termo coach, quando traduzido literalmente do inglês, significa "técnico, treinador" - aquele que nos esportes comanda uma equipe ou um esportista. O papel de um coach é desenvolver a consciência, a responsabilidade e a autoconfiança de seus coachees, ajudando-os a apreender, diferente de ensiná-los - como se trabalha no T & D -, sendo esse o principal diferencial, uma vez que o foco principal é ajudar as pessoas a buscarem o seu desenvolvimento para gerar os resultados.

Particularmente, tenho atuado com foco em Execução e Resultados, utilizando a metodologia FARM - Foco, Ação, Resultado e Melhoria Contínua, com alguns conteúdos baseados no best seller dos consultores Ram Charam e Larry Bossidy.

O conceito de Coaching é diferente de Mentoring, ambos os procedimentos utilizados pelas empresas para desenvolvimento de pessoas e de líderes. Muito usado em organizações norte-americanas, o "mentor" é, de uma maneira geral, um gestor que adquiriu senioridade, liderança e reconhecido mérito profissional e, por esses atributos qualitativos, passa a ser uma espécie de "padrinho" de um jovem talento, de forma direta ou através de indicação feita pela área de recursos humanos. Este escolhido passa a ser acompanhado e aconselhado pelo seu "mentor", buscando melhorar a sua performance dentro da organização. Um experiente ajudando um novato.

Mentor tem origem na Grécia antiga. A história nos permite voltar no tempo e lembrar-nos da lendária figura do fiel escravo, de igual nome, a quem Ulisses entregou a educação do seu filho Telêmaco, ao partir para a Guerra de Tróia.  

Depois, mais tarde, já na Idade Média, as corporações francesas, baseadas em Paris - sociedade de artífices - faziam do ensino um-a-um e da relação mestre e aprendiz a base de seu funcionamento, além, é claro, da continuidade da garantia dos seus monopólios. Da velha Grécia para os Estados Unidos e para chegar ao Brasil foi uma questão de tempo e oportunidade.

Já o counseling, termo inglês para aconselhamento, é outra ferramenta organizacional voltada para o desenvolvimento das pessoas. O aconselhamento trabalha com uma diferente abordagem e está voltado para colaboradores que, de uma forma ou outra, sentem-se constrangidos ou insatisfeitos com a sua vida, seja pessoal ou profissional e precisam de orientação e conselhos. 

O counselor ou conselheiro atua para ajudar com uma abordagem mais orientativa. Os contatos são pontuais, ou seja, um colaborador pode procurar o seu líder ou gestor para receber um conselho sobre assunto pessoal ou profissional. Neste caso, mais pontualmente, o líder ou gestor vai ouvir e oferecer as suas sugestões.

Então, a técnica de aconselhamento tem como foco a solução de um aspecto específico ou alguma dificuldade pessoal ou profissional, sendo exercido por um especialista de modo mais rápido e pontual, bem diferente de coaching e mentoring que trabalham com abordagens distintas e com um espaço de tempo bem maior de acompanhamento.

Todas as ferramentas têm suas vantagens e determinar qual é a melhor vai depender da necessidade da organização e do planejamento estratégico de recursos humanos que esta possui.

Importante, ao final, concluir que se elas são boas no mundo corporativo privado podem também ser usadas no âmbito das organizações cristãs.

Reprodução autorizada desde que mantida a integridade dos textos, mencionado o autor e a fonte como: http://www.institutojetro.com/ e comunicada sua utilização através do e-mail artigos@institutojetro.com.

Leia também:
Teorias da administração: pode vir alguma coisa boa daí?
Você é ensinável?