A igreja e a contabilidade - Finanças e Contabilidade - Artigos - Instituto Jetro

carregando...
Home > Artigos > Finanças e Contabilidade > A igreja e a contabilidade

A igreja e a contabilidade


Publicado em 02.07.2004

Com 12 discípulos, Jesus criou a maior "organização" do mundo. O império Romano, pelas conquistas empreendidas, não sobreviveu. Que ensino nos deixou quanto à gerência empresarial? Nenhum.

Qualquer que seja o processo de avaliação que você pense, Jesus sem sombra de dúvida foi o maior administrador de todos os tempos. Senão, vejamos: Longevidade? Mais de dois mil anos. Riquezas? Incalculáveis. Números? Impossível avaliar. Lealdade de seus membros? Muitos dão a vida por esta organização. Distribuição? No mundo inteiro. Diversificação? Integrada com grande sucesso em todo tipo de empreendimento.

Podemos concluir que Jesus reina supremo, sendo o maior administrador que o mundo já conheceu. Se você, meu irmão, realmente deseja ser bem-sucedido, estude, aprenda e aplique os princípios de Jesus.

Crie um Plano. Chega a ser assustador, mas poucas Igrejas têm um plano contábil/financeiro (plano diretor) pelo qual possam acompanhar seu desempenho e medir seu progresso.

São raros os pastores, tesoureiros e administradores, que tenham elaborado um plano para a Igreja, com objetivos a serem alcançados no curto, médio e longo prazos. Com preparo inadequado, obtemos resultados inadequados.

Jesus tinha um plano e o seguiu fielmente. Essa foi a razão maior de seu sucesso. Sabia para onde ia e permanecia naquela direção. Mas, como saber gerenciar sem o relato de dados coletados em relatórios contábeis/financeiros?

Sem isso, você não tem para onde ir, não tem alvo para onde canalizar suas energias. Sem um plano contábil/financeiro, você agirá apenas em face das circunstâncias. Se dermos o enfoque celestial ao preparo de Jesus, veremos que não teve princípio, foi sempre eterno.

Mas, num enfoque temporal, Jesus preparou-se durante 30 anos, antes de dar início à execução de seu trabalho. Para assegurar a máxima eficácia e a completa realização de nossos planos, temos de nos preparar primeiramente.

E foi pela compreensão do Antigo Testamento que Jesus baseou muito de sua abordagem para executar Seu plano. Ele tinha uma base de conhecimento na qual fundamentava suas ações, e Ele as executou brilhantemente.

E, para sermos bem sucedidos em nossa administração, devemos fazer o mesmo. Quer você como pastor, tesoureiro ou administrador da Igreja, nada, mas nada mesmo, substitui o preparo.

Dê-lhe atenção e tempo necessários. Jesus assim o fez. Seu espantoso sucesso é um testemunho da importância do preparo. Quando da multiplicação dos pães ,Jesus mandou contar a multidão, o que nada mais é que usar aspectos contábeis para a tomada de decisão.

O que Jesus nos ensina, e nos inspira, vai além das regras de como proceder na administração contábil/financeira da Igreja, ensina -nos a conduzir nossa vida desde que aceitemos as palavras encontradas na Bíblia.

A chave da administração contábil/financeira da Igreja está em saber que o tempo gasto na administração significa administração de nós mesmos.

Reprodução Autorizada desde que mantida a integridade dos textos, mencionado o autor e o site www.institutojetro.com e comunicada sua utilização através do e-mail artigos@institutojetro.com

URL: http://www.institutojetro.com/artigos/financas-e-contabilidade/a-igreja-e-a-contabilidade.html
Site: www.institutojetro.com
Título do artigo: A igreja e a contabilidade
Autor: Edson Garcia Pereira

Mais Lidos

carregando...

Comentários